Clínica de São Lourenço

Centro Ortodôntico do Funchal

  • Clinica de São Lourenço 1
  • Clinica de São Lourenço 2
  • Clinica de São Lourenço 3
  • Clinica de São Lourenço 4

O cancro oral pode afectar toda a parte visível da boca incluindo os lábios. O local mais frequentemente afectado é o pavimento da boca (em baixo da língua), a porção lateral da língua e o palato mole. Por isso mesmo é facilmente visível a olho nu tanto pelo próprio paciente quanto pelo dentista ou médico.
O tipo histológico mais comum deste tipo de tumor é o tipo epidermóide (como a pele) . Devido à sua fácil visualização e por apresentar lesões precursoras facilmente diagnosticáveis, a inspecção é o melhor exame.

Cancro Oral

Como pode ser detectado?

Um profissional da saúde examina detalhadamente a porção interna da boca procurando lesões esbranquiçadas (leucoplasias) ou avermelhadas (eritroplasias). Podem ser biopsadas zonas dessas regiões alteradas e examinadas em microscópio em busca de sinais de malignização. Lesões pré-malignas estão bem descritas e o diagnóstico precoce deste tipo de tumor pode ser realizado.

Quais os factores de risco mais comuns associados ao cancro da boca?

Idade: O cancro oral é mais comum em pacientes acima dos 45 anos e aumenta rapidamente até os 65 anos

Fumar: Quanto mais a pessoa fuma maior é o seu risco. Não fumar é a forma mais eficaz de evitar este tipo de cancro.
Os fumadores que param de fumar têm o seu risco bastante reduzido já no primeiro ano de abstinência ao fumo. E o risco reduz -se progressivamente até praticamente igualar aos que nunca fumaram em 10 anos, se a pessoa permanecer sem fumar.

Álcool: A ingestão de bebidas alcoólicas, principalmente quando associado ao fumo,é um factor de risco importante para o cancro oral.
Quanto mais porções a pessoa ingere, maior é o seu risco.
Ingerir bebidas alcoólicas com moderação ou evitar completamente a ingestão de álcool diminui o risco de desenvolver este tipo de cancro, principalmente entre os fumadores.

Sexo: Esse tipo de tumor é mais comum em homens do que em mulheres.

Exposição ao sol: Proteger os lábios dos raios de sol mais fortes, entre as 10 e 16 horas, com protector solar ou chapéu, pode diminuir a probabilidade de desenvolver cancro do lábio inferior.

Qual o tratamento?

O tratamento envolve geralmente cirurgia, quimioterapia e radioterapia dependendo dos casos e deverá ser realizado em instituições hospitalares especializadas. O prognóstico é melhor se detectado precocemente por isso deve visitar regularmente o dentista/estomatologista, principalmente se fuma ou ingere bebidas alcoólicas.

Como prevenir?

Deve observar a sua boca e procurar mudanças na cor da pele e mucosas, manchas brancas e vermelhas, endurecimento de tecidos moles, nódulos duros e imóveis e áreas adormecidas.

5 passos que podem salvar uma vida:

  1. Observe os lábios superior e inferior, parte exterior e interior, incluindo as gengivas.
  2. Observe o interior das bochechas, garganta e o palato (céu da boca).
  3. Observe a língua; olhe por cima, nos lados e por baixo (incluindo o pavimento da boca).
  4. Toque suavemente sobre o rosto e o pescoço, em busca de nódulos.
  5. Sorria para si e visite regularmente um médico dentista ou estomatologista.